Câmara A+  
A-  
A 
Buscar no site:

Notícias da reunião ordinária da câmara do dia 16 de agosto de 2016


Em 16/08/2016 - Notícias da reunião ordinária da câmara do dia 16 de agosto de 2016

Compra de veículo e venda do pátio da prefeitura. Estes dois temas mereceram críticas dos vereadores de Monte Belo durante a reunião ordinária do Legislativo no dia 16 de agosto. Foi registrada a ausência justificada do vereador Antônio Marco Tranches.

REJEITADO POR TODOS - Os vereadores foram unânimes ao rejeitar o projeto de Lei do Executivo que pedia autorização de abertura de crédito especial no orçamento no valor de R$ 50 mil para aquisição de equipamentos e materiais permanentes para a Secretaria de Obras.

Na reunião anterior, o vereador Nilson havia solicitado “vistas” ao projeto, pois o mesmo não informava o que seria comprado. O Executivo respondeu informando que seria adquirido um veículo caminhonete Strada. Nilson criticou a iniciativa, defendendo a aquisição de veículo para o transporte dos servidores com conforto. Entende, inclusive, que o veículo estaria servindo apenas o secretário. Outros vereadores também comentaram a respeito. Cida relatou a falta de veículos na área de saúde. Claudinho falou que o valor seria suficiente para executar o serviço de cascalhamento nas estradas do município, criticando também o leilão de veículos realizado pela administração. O presidente Ricardo Prato também criticou a realização do leilão de veículos da prefeitura, considerando que foram vendidos “a preço de banana”.

ENFERMEIRA - Foi aprovado por unanimidade, projeto de Lei que aumenta o número de vagas do cargo de técnico em enfermagem, de 05 para 06 vagas, altera o anexo I da Lei nº. 2.530, de 19 de maio de 2010.

Desta vez, a atitude do Executivo mereceu elogios e aprovação dos vereadores. Nilson afirmou que o projeto visa o bem do povo. Contou que a enfermeira Marta, no Distrito de Santa Cruz da Aparecida, está entrando em aposentadoria e a providência é necessária. Os vereadores, como Cida e Luiz Carlos, também defenderam profissionais de enfermagem para outros bairros do município. O presidente Ricardo Prado relatou reclamações quanto ao horário de atendimento pela enfermeira no Distrito de Santa Cruz da Aparecida. A exemplo dos colegas, defendeu a implantação de um posto de saúde no bairro Posses da Serra, que é bastante populoso.

HONRARIAS - Foram aprovados por unanimidade, projetos de Decreto Legislativo concedendo honrarias.

Projeto de autoria do presidente Ricardo Ribeiro do Prado dá denominação à rua sem nome identificada como Rua D, no Jardim São Mateus, passando a denominar-se Rua Jair Marques da Silva. Do mesmo vereador, projeto dá nova denominação à Avenida Central do Distrito de Juréia, passando a denominar-se Avenida Antônio dos Santos.

Projeto de autoria do vereador Luciano Henrique Ferreira concede Diploma de Honra ao Mérito ao ex-vice-prefeito Joaquim Valeriano da Cruz. Do mesmo vereador, projeto concede Título de Cidadão Montebelense ao Sr. Genivaldo Batista dos Santos Jovino.

Projeto de autoria do vereador Aloísio Antônio Boneli Almeida (Biscoito) concede Diploma de Honra ao Mérito ao ex-Desembargador Rubens Xavier Ferreira.

INDICAÇÕES AO EXECUTIVO - O vereador Nilson Donizette da Silva sugeriu a colocação de meio-fio na Rua Luiz Teixeira Martins, sentido o Córrego do Lobo, no bairro Santa Rita. Com isso, possibilitando a colocação de poste de iluminação pública no local. Nilsinho ainda reivindicou a recuperação de mata-burro ou substituição do mesmo por um de ferro no bairro Sanharão, na estrada que dá acesso à antiga residência do Sr. Francisco Paulino. Por fim, o mesmo vereador pediu a instalação de lombadas (redutores de velocidade) no bairro Capoeirinha.

O presidente Ricardo Ribeiro do Prado reivindicou o asfaltamento de rua que dá acesso à Rua Manoel Antônio Rita e Av. Getúlio Vargas, em frente à Agropecuária Monte Belo, atendendo pedido dos moradores dos bairros Jardim São Mateus e Jardim Eldorado. A referida rua encontra-se com buracos, excesso de poeira, gerando vários problemas de saúde para a população.

O vereador Cláudio Donizete Pereira sugeriu a pavimentação asfáltica da “Rua Central”, no bairro rural Posses da Serra. Ele relatou as dificuldades de quem reside longe dos centros urbanos. Assim, a obra solicitada poderá garantir maior qualidade de vida aos moradores.

RISCO COM POSTE - O vereador Natalino Batista Rosa mostrou fotos comprovando a situação de risco com poste de iluminação na Rua do Correio, defronte ao número 92, no Distrito de Juréia (foto). Como o poste está totalmente corroído e sustenta um grande transformador de energia, o vereador alertou para o risco de desabamento e grave acidente.

O vereador Nilson comentou a respeito e necessidade de postes de iluminação em diversos locais. Mas, conforme tomou conhecimento, a prefeitura não está fazendo a sua parte, possibilitando a execução do serviço pela Cemig. Luiz Carlos informou que medições já foram feitas e uma empresa especializada está elaborando um projeto. A licitação pela prefeitura deverá ocorrer nos próximos dias e a Cemig vai executar a colocação dos postes.

VENDA DO PÁTIO - O vereador Nilson Donizette da Silva foi o primeiro a criticar a venda do pátio, que deverá acontecer no dia 25 de agosto. Entende que a providência causa estranheza por acontecer somente a praticamente três meses do final do mandato. Ele considerou a venda uma “vergonha”, depois de oito anos de governo.

A vereadora Cida também criticou a venda do pátio da prefeitura. Lembrou que projeto foi aprovado em época anterior autorizando o uso somente de parte dos recursos oriundos da venda na construção da nova sede da prefeitura, sendo que o restante deveria ser investido em outras ações já definidas no projeto. Ou seja, na venda do pátio, conforme mostra o projeto, a aplicação dos recursos já estava vinculado. Portanto, o prefeito não pode usar da forma como deseja, como vem acontecendo.

O vereador Cláudio Donizete Pereira considerou “tarde demais” para o Executivo efetuar a venda, pois está no final de mandato. Para ele, não tem justificativa, argumentando que não haverá tempo para construir a sede da prefeitura, comprar lotes ou fazer qualquer investimento. No final da reunião, solicitou o envio de ofício ao Executivo na tentativa de sensibilizar o prefeito a voltar atrás em sua decisão. Apoiado por todos os colegas, também ouviu os colegas Cida e Nilson conclamar a população para uma manifestação no dia do leilão.

O presidente Ricardo Prato também criticou a venda do pátio neste momento. Conclamou o comprador interessado a fazer um lance bom, pois o terreno é um patrimônio do povo.

Fonte: A Folha Regional - Ed. 1309